Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Regeneração óssea Aveiro pede patente europeia

18-10-2022

Um grupo de investigadores da Universidade de Aveiro (UA), liderado por Paula Vilarinho. acaba de conseguir a patente europeia de um dispositivo Micro Electromecânico para aplicações biomédicas, vocacionado para a promoção do crescimento ósseo.

O grupo de investigação do Instituto de Materiais de Aveiro (CICECO), em colaboração com Maria Helena Fernandes, também professora do DEMaC, Sebastian Zlotnik e Marisa Costa, desenvolveu o dispositivo que promove o crescimento ósseo através da utilização de um substrato metálico biocompatível, revestido com uma camada eletricamente funcionalizada, bem como o seu método de produção.

“Estes sistemas apresentam uma maior taxa de formação de fosfato de cálcio, uma maior capacidade de adsorção de proteínas e de adesão e proliferação celulares, promovendo uma melhor integração e regeneração do tecido ósseo hospedeiro”, explica Paula Vilarinho.

A tecnologia agora patenteada tem aplicação no âmbito da biomedicina, nomeadamente no fabrico de dispositivos BioMicroElectromecânicos destinados à promoção da regeneração do tecido ósseo, diminuindo consequentemente a taxa de rejeição, à substituição de implantes permanentes e ao crescimento biológico ex vivo (fora do organismo) e in vivo (dentro do organismo) de tecidos, entre outras.

Estes sistemas foram desenvolvidos no âmbito do projeto ‘Advanced BioMEMs for tissue engineering: applications in hard tissue’ (BioMEMs), tendo já sido objeto desenvolvimentos para além dos reportados na patente, assegurados pelos novos membros desta equipa de investigação: Júlio Rocha, Maxim Ivanov e Noelle Zanini.

Os primeiros ensaios in vivo foram realizados após o registo da patente nacional e conduziram a resultados muito promissores. Decorre a programação da experimentação animal mais dirigida, que permitirá prosseguir a avaliação do dispositivo médico, de acordo com a regulamentação europeia em vigor. Estes estudos estão a ser conduzidos numa estreita colaboração com Ana Colete Mauricio, professora do Departamento de Clínicas Veterinárias, do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar, Universidade do Porto, e o seu grupo de investigação.

Press UA
 
Voltar