Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

‘A liberdade é um valor que jamais se pode perder’

A poucos dias de mais um aniversário do 25 de abril, Fernando Tordo afirma que «se a liberdade for o alicerce, a democracia não treme.» Sem papas na língua, como é seu timbre, o cantor e compositor lamenta o desprezo a que são votados os mais velhos em Portugal e defende a criação de um organismo ou ministério exclusivamente dedicado para a resolução dos problemas dos idosos.

No bloco o cirurgião é o capitão do navio

A aprendizagem e o crescimento dos médicos mais jovens depende, em grande medida, do impulso que as unidades hospitalares dão à formação. José Roquette, diretor clínico do Hospital da Luz durante 13 anos, defende que o toque humano do médico deve prevalecer sobre a máquina, justificando que esta “ajuda, mas não fornece diagnósticos”.

«É preciso um programa de emergência de literacia para a cibersegurança»

Só uma «cultura de autoproteção no ciberespaço», promovida pelo Estado, as empresas e as universidades, pode combater a crescente «ameaça invisível» da nova geração de crimes informáticos. Para Jorge Bacelar Gouveia, as penas previstas deviam ser aumentadas como forma de dissuadir estas práticas criminosas. Sobre o conflito na Ucrânia, o constitucionalista admite que Vladimir Putin pode vir a ser julgado à revelia pelo Tribunal Penal Internacional.

«Portugal precisa de lideranças e de pessoas com visão estratégica»

Mais qualificação, inovação e progresso tecnológico. Estas são, para Teixeira dos Santos, as bases das reformas que o governo eleito deve levar a cabo na próxima legislatura. O ex-ministro das Finanças identifica o medíocre desempenho na produtividade, no equilíbrio externo e nas finanças públicas como obstáculos ao progresso do país nas últimas décadas.

‘O abuso sexual de menores é uma tragédia’

«O abuso sexual de menores é uma tragédia», defende Anselmo Borges, que considera a criação da comissão independente para a investigação destes casos «um ato corajoso e que se impunha.» No domínio da educação, o padre da Sociedade Missionária Portuguesa acredita que o poder político tem de colocar a profissão de professor num «lugar cimeiro.» Uma entrevista com reflexões oportunas e filosóficas sobre a Igreja e o mundo.

‘Como não tinha professores, aprendi a ouvir os outros’

Camané é um nome maior da chamada «canção nacional». O fadista defende que, em nome da sua «forma de estar e da sua verdade», o «fado não pode perder a essência» e garante ainda fazer «eternamente sentido» dizer-se «silêncio, que se vai cantar o fado!». O lançamento do seu disco “Horas Vazias” foi a oportunidade para conversar sobre mais de 25 anos de carreira.

«Portugal é um país que dá pouca importância à escola»

Falta consciência social para os problemas que afetam o sistema de ensino. Segundo Susana Peralta, a pandemia vai deixar «cicatrizes» nos alunos, nomeadamente ao nível de competências irremediavelmente perdidas. A economista defende ainda ser urgente atrair e reter professores, por esta ser «a mais importante profissão para o futuro do país.»

‘A culpa não é só dos políticos’

Nome incontornável do debate político e das grandes entrevistas às principais figuras do Portugal democrático, Maria João Avillez lamenta a degradação do ar político e do espaço público e defende que depende dos portugueses a mudança de direção e de rumo que o país está a levar.

‘Vivemos numa sociedade solteira de afetos e divorciada de compromissos’

Há cerca de 30 anos que escolheu uma vida ao serviço do próximo, tendo já percorrido 87 países nos cinco continentes, em inúmeras missões religiosas e humanitárias. O lema de Frei Fernando Ventura é sempre o mesmo: «Não podemos mudar o mundo, mas podemos mudar o mundo de alguém». A poucos dias de mais um Natal, ainda em contexto de pandemia, oportunidade para refletir sobre a sociedade em que vivemos e o papel da Igreja.

‘A pandemia só acaba quando todo o mundo estiver completamente vacinado’

Perante o aumento do número de casos, o vice-presidente da Associação Nacional de Médicos de Saúde Pública defende que se facilite uma testagem regular da população, nomeadamente com a realização de testes rápidos antigénio na farmácia, por serem mais fidedignos. Objetivo: detetar casos positivos, conter e quebrar as cadeias de transmissão. Contudo, Gustavo Tato Borges deixa um alerta: «um teste negativo não nos deve permitir fazer tudo.»

Sagrado balneário

O apresentador do popular programa “Sagrado Balneário” e ex-presidente do Sindicato dos Jogadores refere que a sobrecarga de jogos nos calendários não acautela os interesses dos futebolistas e critica que a realização do mundial do Qatar, no inverno de 2022, obrigue à suspensão das restantes competições por alguns meses. Sobre quem vencerá a Liga portuguesa, António Carraça avança que será uma «renhida» luta a três, até final.

Choque energético coloca enormes riscos para a recuperação económica

Quando se julgava que o pior ficara para trás, nova tormenta paira sobre as economias globais. Helena Garrido, um dos rostos mais reconhecidos pelos portugueses quando se fala das contas do país, admite que o crescimento económico saia prejudicado e não descarta uma antecipação da subida das taxas de juro, com efeitos para as famílias e empresas.

‘Impunidade não faz bem à democracia’

O fim dos “paraísos fiscais” deve ser um desígnio coletivo da União Europeia. Quem o diz é a eurodeputada, Maria Manuel Leitão Marques, que defende ainda que «a política, desempenhada por um homem ou uma mulher, deve ser, em primeiro lugar, um bom veículo para ajudar a melhorar a vida dos outros».

Magistradas querem sensibilizar escolas para as questões de género

Um grupo de juízas fundou uma associação que tem como objetivo defender a igualdade efetiva na carreira judicial. A magistrada Paula Ferreira Pinto, que lidera a AJP, refere que é prioritário que o sistema de Justiça promova a proximidade com os alunos do básico e do secundário, no sentido de sensibilizar a comunidade escolar para os processos envolvendo a igualdade de género, violência doméstica, família e menores.

‘É no serviço público que continuará a existir a salvaguarda do interesse comum’

O editor de desporto da RTP revela as suas aventuras e desventuras na recente cobertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Com raízes familiares na aldeia de Monsanto, recorda o período em que coordenou o centro de emissão regional do canal público em Castelo Branco e os seus esforços para que esta região tivesse o direito de «expressar a sua interioridade».

‘Nos próximos meses haverá um tsunami de processos’

Menezes Leitão refere que o impacto da pandemia e a falta de apoios castigaram muito os escritórios de advogados, mas antecipa a recuperação para breve. Ainda durante o seu mandato, o bastonário pretende criar a Escola Superior de Advocacia, no sentido de melhorar e desenvolver as competências técnicas destes profissionais.

«Os políticos deviam trabalhar mais com os cientistas e a ciência»

O professor catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa defende que as grandes questões da vida pública deviam ser encaradas através de uma «forma de pensar e agir mais científica». Sobre a pandemia, Miguel Castanho considera que o anúncio do Primeiro-Ministro, prometendo que a «libertação total da sociedade» chegará no final do verão, é um objetivo que «não pode ser garantido».

‘Os jovens são o motor da epidemia’

O professor da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa alimenta uma «leve esperança» que no próximo mês o processo de vacinação traga um ponto de viragem no controlo da pandemia. O especialista lamenta que discursos «pouco cautelosos» por parte de responsáveis políticos e da área da Saúde tenham passado uma mensagem errada para a população.