Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXII

Inovação Manuel Heitor destaca visão de futuro da Universidade de Évora 07-01-2021

O Ministro da Ciência e do Ensino Superior, Manuel Heitor, destacou a visão que a Universidade de Évora tem para o seu desenvolvimento. O governante revela que "a UÉ tem uma capacidade crescente, apresenta ideias muito interessantes e uma visão clara para o futuro em áreas tão diversas que vão desde as Artes à Saúde, passando pela Inteligência Artificial à Agricultura”.

O Ministro da Ciência e do Ensino Superior, Manuel Heitor, destacou a visão que a Universidade de Évora tem para o seu desenvolvimento. O governante revela que "a UÉ tem uma capacidade crescente, apresenta ideias muito interessantes e uma visão clara para o futuro em áreas tão diversas que vão desde as Artes à Saúde, passando pela Inteligência Artificial à Agricultura”.

Manuel Heitor falava naquela instituição de ensino, no dia 5 de janeiro, durante o roteiro “Um dia…a pensar o futuro”, o qual teve início na academia de Évora.

Citado em nota enviada ao Ensino Magazine pela UÉ, Manuel Heitor considerou que “o Alentejo será certamente melhor com mais Universidade de Évora”.

No seu entender, “as Universidades devem continuar a deitar abaixo os muros, criando espaços de grande interação com as regiões e empresas”.

De igual modo defende que sejam “locais para todas as idades”, justificando neste sentido, que Portugal apresenta “a comunidade estudantil mais jovem na Europa com uma média a rondar os 25 anos, enquanto no centro e norte da Europa a idade média dos estudantes do superior anda na casa dos 40 anos de idade”.

Sobre o mote “aposta da Universidade de Évora na sustentabilidade do Território lato sensu, Manuel Heitor, teve oportunidade de conhecer os desenvolvimentos tecnológicos e científicos da academia alentejana com o novo laboratório Arteria Lab, instalado no Edifício dos Leões. Um equipamento que se “apresenta como um espaço transdisciplinar de investigação e experimentação que cruza as áreas artísticas, tecnológicas e científicas”, revela a instituição.

Acompanhado pela reitora da UÉ, Ana Costa Freitas, o ministro assistiu à apresentação do Laboratório para a Produção e Experimentação de Realidade Imersiva, e do Laboratório de Desenvolvimento de Teste de Materiais Compósitos e Soluções Tecnológicas.

Nesta sua visita de trabalho, Manuel Heitor conheceu também o complexo SPHERA-CASTRIS, um espaço de Ciências e Cultura no Alentejo, apresentado por Ana Paula Amendoeira, diretora Regional de Cultura do Alentejo e por António Candeias, vice-reitor da UÉ.

No entender do governante,“o conhecimento não tem limites e a aposta na Ciência e na Inovação é o caminho que a Europa deverá seguir”.

Durante a sua presença Évora, Manuel Heitor reuniu-se com entidades regionais e membros da Academia e teve ainda oportunidade de conhecer a dinâmica em termos de investigação científica em várias áreas no âmbito da dispersão e combate biológico de pragas e doenças na agricultura mediterrânea por investigadores do Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento-MED, o Centro Ibérico de Investigação e Combate aos Incêndios Florestais, bem como na área da gestão de recursos pesqueiros no séc. XXI, conhecimento, sustentabilidade, valorização por Pedro Raposo de Almeida.

A área da saúde e bem-estar das populações também esteve em destaque, tendo Paulo Quaresma apresentado resultados recentes para resposta ao SNS. Lino Patrício mostrou os mais recentes desenvolvimentos da Cátedra Life Span, e Manuel Lopes divulgou a Plataforma de Gestão de conhecimento em Saúde: Aplicação Às Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas, a cargo de Manuel Lopes.

Já na área da Aeronáutica, José Felizardo apresentou novos projetos e soluções em desenvolvimento conjunto entre o CEIIA e a Cátedra Aeroespacial da UÉ, seguindo de um debate aberto à comunidade académica que decorreu no Auditório do Colégio do Espírito Santo onde foram abordados temas tão diversos como a questão das acessibilidades, habitação, ambiente, ordenamento do território e os novos programas de financiamento europeu e nacionais.

 
Voltar