Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXIII

Universidade Aurora Carapinha premiada

22-11-2021

Aurora Carapinha, arquiteta paisagista e professora da Universidade de Évora, e José Sá Fernandes, antigo vereador do Ambiente da Câmara Municipal de Lisboa, receberam, na Universidade de Évora,o Prémio Gonçalo Ribeiro Telles 2021 no passado dia 11 de novembro.
Na cerimónia, Aurora Carapinha recordou em declaração aos jornalistas que foi “a aluna nº.6” de Ribeiro Telles na Universidade de Évora, sendo uma “honra” receber este prémio que “tem um significado muito forte, que é a responsabilidade”.
Citada na nota enviada ao Ensino Magazine pela Universidade de Évora, Aurora Carapinha frisa que este prémio “obriga qualquer um que o receba a saber transmitir todo o legado ideológico de Ribeiro Telles”, assim como “toda a sua atividade cívica”.
Também José Sá Fernandes, considerou ser “uma honra e unicamente tenho que conter a vaidade”. O antigo vereador da Câmara de Lisboa, recordou o legado “único” que o Arquitecto Gonçalo Ribeiro Telles nos deixou. Gonçalo Ribeiro Telles, que faleceu a 11 de novembro de 2020, aos 98 anos, foi “um político e um arquiteto paisagista, mas essencialmente um político” que usou “a arquitetura paisagista para atingir a qualidade de vida de uma comunidade e de um país”, exaltou ainda Aurora Carapinha.
Ana Costa Freitas, reitora da UÉ, citada na mesma nota, considerou tratar-se de “uma justíssima homenagem ao homem cuja dignidade, sabedoria e humildade o colocam entre as personalidades brilhantes de Portugal e ao nível internacional”, sem esquecer a participação que o Arquitecto Gonçalo Ribeiro Telles assumiu na refundação da UÉ, na criação da licenciatura Arquitetura Paisagista, tendo sido o primeiro a dirigir o Departamento de Planeamento Biofísico e Paisagístico.
O prémio nasceu de uma iniciativa conjunta do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, da Ordem dos Engenheiros, da Causa Real, da Associação Portuguesa dos Arquitetos Paisagistas, e da Universidade de Évora.
O júri, composto por representantes do Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa, da Ordem dos Engenheiros, da Causa Real, e da APAP - Associação Portuguesa dos Arquitectos Paisagistas, incluiu também a Universidade de Évora, através da sua Reitora, Ana Costa Freitas, e Miguel Ribeiro Telles, familiar do arquiteto Gonçalo Ribeiro Telles.

 
Voltar