Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXIII

Projetos de inovação pedagógica IPS e Santander apoiam docentes

26-10-2021

O Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) vai ter no terreno, ao longo deste ano letivo, quatro novos projetos de inovação pedagógica financiados no âmbito do concurso IPS & Santander-InovPed, com o apoio do Banco Santander, os quais visam apoiar o desenvolvimento de projetos de inovação pedagógica que enriqueçam o processo de ensino-aprendizagem, promovam o sucesso e combatam o abandono académico.
As propostas submetidas foram avaliadas por um júri composto por três docentes externos ao IPS (Universidade Nova de Lisboa e politécnicos do Porto e de Leiria), que decidiu distribuir o montante global de 10 mil euros por quatro projetos nas áreas das Ciências Empresariais, Saúde e Educação, três deles de dimensão internacional.
Unindo docentes da Escola Superior de Ciências Empresariais (ESCE) e do Instituto Federal de Santa Catarina, Brasil, o projeto ‘Cotadas’, sigla de CO-criation To Analyses and Development of Strategic Scenarios, pretende contribuir para a formação e preparação dos futuros gestores para os desafios reais e problemas atuais das empresas, através da criação de equipas multidisciplinares, internacionais e multiculturais para a avaliação de cenários e cocriação de propostas de valor inovadoras e sustentáveis.
No mesmo domínio do conhecimento, o projeto ‘Cocreation in Experiential Learning’ (CiEL) aposta igualmente na multidisciplinaridade e multiculturalidade, propondo-se encontrar soluções em cocriação (as equipas de trabalho serão constituídas por estudantes e representantes do tecido empresarial) para o fenómeno da mobilidade elétrica partilhada. Este projeto coloca também a ESCE/IPS em estreita colaboração com uma instituição de ensino superior brasileira, neste caso Universidade Federal de Santa Maria.
No que toca à saúde, foi aprovado para financiamento o projeto S4Health – Simulation for Health, que visa otimizar a simulação enquanto metodologia ativa de ensino-aprendizagem na área da Enfermagem e associar-lhe um conjunto de estratégias pedagógicas, com a utilização de tablets e outros recursos tecnológicos, que contribuem para o desenvolvimento de competências clínicas e digitais dos estudantes e para a preservação ambiental. A proposta será implementada por docentes da Escola Superior de Saúde (ESS) e da Oulu University of Applied Sciences (OAMK), na Finlândia.
Finalmente, será implementado o projeto Articular - Uma experiência de articulação curricular na formação inicial de educadores e professores do 1.º ciclo, a desenvolver por docentes da Escola Superior de Educação (ESE), âmbito mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º ciclo do Ensino Básico, visando promover articulação, a partir de livros infantis, entre diferentes áreas disciplinares como a Matemática, Linguagem Oral e Abordagem à Escrita.
Segundo Ângela Lemos, vice-presidente para a Inovação Pedagógica, os projetos apresentados a concurso “cumpriram o propósito da sua criação na medida em que se centram no desenvolvimento de novos formatos e novas metodologias de ensino, apoiando-se, por exemplo, na cocriação e na inclusão das tecnologias digitais ao serviço da formação superior, permitindo aos estudantes o desenvolvimento de competências transversais tão necessárias ao seu futuro desempenho profissional”.

 
Voltar