Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXII

Prémio Uni.Covid-19 Vencedores mostram resultados no terreno 10-12-2020

A sessão permitiu ainda que os autores de alguns dos projetos vencedores do Prémio Uni.Covid-19 apresentassem os resultados obtidos no terreno.
Os dados mostram a importância deste prémio e o impacto que as atividades desenvolvidas estão a ter: o projeto Street Store, da Associação Académica de Coimbra, apoiou cerca de 100 pessoas sem-abrigo; o MinhoCovid19, da Associação Académica da Universidade do Minho, entregou 13.000 materiais de proteção a 48 instituições, juntando-se depois à associação Virar a Página para distribuir 2500 refeições a pessoas sem-abrigo e famílias vulneráveis; o projeto Com ânimo, Sem pânico, do Instituto Superior Técnico, apoiou 200 alunos do ensino secundário na preparação dos exames nacionais; e o JanelasConVIDA, do Instituto Politécnico de Viana do Castelo, que começou em março de forma virtual para estabelecer ligação com os vizinhos mais velhos, desenvolve agora o seu trabalho no terreno na zona de Viana, onde vivem muitos idosos.
O projeto ZELAR@CB, do Instituto Politécnico de Castelo Branco, que foi o grande vencedor do Prémio, esteve também presente na sessão. Mostrou o trabalho desenvolvido desde então, após ter recebido apoio financeiro para ajudar no desenvolvimento de uma aplicação para monitorizar indicadores relacionados com as atividades diárias de idosos isolados da região e alertar para a modificação dos seus hábitos, por exemplo, no consumo energético, bem como na integração de detetores de quedas. O projeto está a ser implementado por alunos voluntários, que estão a desenvolver a integração dos sistemas IoT e a realização de testes piloto com idosos residentes nas zonas rurais de baixa densidade populacional do distrito de Castelo Branco.
O Prémio Uni.Covid-19 foi uma das iniciativas lançadas em 2020 pelo Banco Santander, através do Santander Universidades, para responder à situação social provocada pela crise da pandemia. O objetivo foi realçar e apoiar as iniciativas com impacto social que os jovens universitários e outros membros da comunidade académica realizaram neste contexto adverso, com o lema “Tira as tuas ideias de quarentena”.
Ao todo, recebeu 336 candidaturas ao longo de três etapas, tendo sido distinguidas 14 ideias ou iniciativas. Foi concedido aos candidatos vencedores um donativo financeiro até 5000 euros para conseguirem realizar os seus projetos e fazer com que tenham um impacto social o mais significativo possível na sua área de atuação. Ao longo das várias fases de seleção, foi distribuído o valor total de 30.000 euros.
Os 14 vencedores do Prémio Uni-Covid-19 foram:
1ª fase: “JanelasConVIDA: Fortalecer relações de vizinhança”, do Instituto Politécnico de Viana do Castelo; “Alimentação saudável, sustentável e solidária (A 3S): Colher para distribuir”, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro; “Apoio em cuidados paliativos a famílias e doentes de grupo de risco Covid-19”, da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto; “Minho Covid19: Distribuir materiais de proteção doados”, da Universidade do Minho; e “Estudar sem Barreiras! Para todos estarem ligados”, do Instituto Politécnico de Setúbal.
2ª fase: “ZELAR@CB - Zelar pelos idosos isolados em espaços rurais” (eleito simultaneamente, o grande vencedor), do Instituto Politécnico de Castelo Branco; “Com ânimo, sem pânico”, do Instituto Superior Técnico; “Menu19”, da Universidade da Madeira; e “Support Local Businesses Through Design”, do IADE – Universidade Europeia;
3ª fase: “Street Store”, da Universidade de Coimbra;“Psic.ON - Plataforma Web de Suporte Psicológico Online”, da Universidade do Porto; “StreetArt Against COVID19”, do Instituto Politécnico do Porto; “LARS – Linha de Apoio de Responsabilidade Social”, da Universidade Lusíada do Porto; e “Protagonismo da Mulher em tempos de COVID-19”, da Universidade de Évora.

 
Voltar