Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Politécnico Politécnico de Coimbra assinala 43 anos com o desejo de ser universidade e atribuir doutoramentos

21-07-2022

O Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) assinalou, no passado dia 15 de julho, o seu Dia. 43 anos após a sua fundação o presidente da instituição, Jorge Conde, olha para o futuro com os desafios e objetivos bem presentes.

Na sua intervenção defendeu a alteração de nome para Universidade. “Um dia estaremos aqui para assinalar o Dia da Universidade Politécnica de Coimbra. Temos sistematicamente defendido o trabalho que fazemos, a necessidade de o reconhecer sociologicamente, e de o valorizar nacional e internacionalmente. Por isso, abraçámos a iniciativa de cidadãos que no dia 23 de junho foi votada por unanimidade na Assembleia da República que prevê essa alteração”, disse.

O presidente do Politécnico de Coimbra falava no Pavilhão do Centro de Portugal, em Coimbra, numa cerimónia onde o Ensino Magazine atribuiu três bolsas de mérito académico aos melhores alunos da instituição dos últimos três anos e distinguiu o Politécnico de Coimbra com uma salva de mérito pelo trabalho desenvolvido em prol do ensino superior na região e no país.

 “Estou certo que agora que a mesma (iniciativa) se encontra em análise em sede de comissão, o trabalho vai ser célere, coerente e justo, com um desfecho positivo para Portugal e para o ensino superior, valorizando as instituições em que nos inserimos. Temos recolhido, de gente de grande prestígio, opiniões positivas de todos este processo. Diria mesmo, que os que contam estão do lado certo”.

Num discurso objetivo, Jorge Conde abordou diferentes pontos que considera importantes para o desenvolvimento do Politécnico de Coimbra. A investigação é uma das áreas que classifica como fundamental e defendeu a necessidade de fixar investigadores em centros de investigação tutelados pelo IPC.

“A dispersão de professores investigadores dispersados por centros de investigação de instituições concorrentes é algo que merece reflexão. Se não me oferecem dúvidas as parcerias com aqueles que estão disponíveis para reconhecer o nosso papel e o trabalho dos nossos investigadores, também não tenho dúvidas que é urgente internalizar muita da investigação de fazemos em novos centros com a chancela do Politécnico de Coimbra”, justificou.

Jorge Conde falou ainda da urgência das novas instalações da Escola Superior de Tecnologia e Gestão em Oliveira do Hospital e da promessa, não cumprida pelo Governo, de ressarcir as instituições de ensino superior pelo investimento feito durante a pandemia.

Também a presidente do Conselho Geral da instituição, Maria Manuel Leitão Marques, que sublinhou a importância da internacionalização e da investigação no IPC. “Vencemos algumas etapas este ano, mas há muitas pela frente que vamos ter que enfrentar: da atualização metodológica, da forma como ensinamos que tem de ser diferente daquela com que aprendemos, à qualidade dos nossos centros de investigação, sem esquecer a sua internacionalização e uma relação mais profícua com toda a qualidade envolvente que não deve limitar-se à que está na nossa proximidade.

A cerimónia contou ainda com as intervenções da vereadora da Câmara de Coimbra, Ana Bastos e da representante das associações de estudantes, Alice Monteiro.

Um dos momentos altos da cerimónia foi a comunicação proferida pelo Chefe de Estado Maior das Forças Armadas, António da Silva Ribeiro. Uma lição sobre o tema “liderar e gerir em tempos de crise: lições empreendidas no comando das forças armadas”. Na sua intervenção fez uma transposição do que é comando nas forças armadas para o que pode ser nas empresas. Falou ainda sobre a implementação do plano de vacinação contra a Covid-19 foi feito e os passos que foram sendo dados.

 

Ensino Magazine atribui bolsas

 

O Ensino Magazine atribuiu três bolsas monetárias de mérito académico aos três alunos com melhor média nos últimos três anos. João Carrega, diretor da publicação, em conjunto com o presidente do Politécnico e com os diretores de escola entregou a bolsas aos seguintes alunos: Daniel Barreira, Licenciatura em Música, da Escola Superior de Educação do Politécnico de Coimbra, com 17,733 valores (2018/2019); Ana de Barros Tabanez, da Licenciatura em Gastronomia, da Escola Superior de Educação do Politécnico de Coimbra, com 18,394 valores (2019/2020) e Filipa Pinho Santos, da licenciatura em Dietética e Nutrição, da Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Politécnico de Coimbra, com 18,283 valores (2020/21).

O Politécnico de Coimbra foi também distinguido com uma salva de mérito, uma distinção que deveria ter ocorrido há três, no âmbito dos seus 40 anos, mas que a pandemia adiou. João Carrega sublinhou que passados estes três anos de pandemia, o trabalho do Politécnico de Coimbra saiu ainda mais valorizado, pelo que a salva de mérito tem ainda mais significado.

Na cerimónia o IPC homenageou também os trabalhadores da instituição mais antigos.

IPC
 
Voltar