Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Politécnicos de Santarém, Portalegre e Beja organizaram Literacia em congresso internacional

08-07-2022

O Instituto Politécnico de Santarém (IPS), em parceria com o Politécnico de Portalegre e o Politécnico de Beja, promoveu, nos passados dias 7 e 8 de julho, o 2.º Congresso Internacional de Literacias do Séc. XXI – ICCL2022. O evento decorreu na Escola Superior de Educação num formato híbrido.

Para a organização, “esta foi uma oportunidade para repensar a importância da literacia como um estímulo ao desenvolvimento e integração das populações nos desafios das próximas décadas”.

Ao longo dos dois dias foram abordados vários temas, nomeadamente: literacia digital, financeira, ambiental, quantitativa, científica e emocional, bem como literacia nos domínios da saúde, das artes e da gestão, do STEAM, da literacia dos media, da leitura e da escrita e das bibliotecas.

A iniciativa arrancou, após a sessão de abertura, com a conferência subordinada ao tema “O papel dos Institutos Politécnicos Portugueses, localizados em regiões de baixa densidade populacional, na difusão das Literacias do Século XXI", em que participaram os presidentes dos politécnicos de Santarém, João Miguel Moutão, de Castelo Branco, António Fernandes, de Beja, Fátima Carvalho (online) e de Tomar, João Coroado, e o vice-presidente do Politécnico de Portalegre, Fernando Rebola.

Neste debate, de cerca de 90 minutos, moderado pelo diretor do Ensino Magazine, João Carrega, falou-se da importância das instituições de ensino superior politécnico no interior do país, das vantagens e desvantagens, mas também das oportunidades. Ficou claro o forte impacto que aquelas instituições têm no território em que estão inseridas, não só pela qualificação, investigação e promoção do conhecimento, mas também pela fixação de quadros, captação de novos públicos e pelo forte desenvolvimento económico.

Todos os oradores foram unânimes no papel importante que as suas instituições têm na promoção da coesão territorial do país. A questão da atribuição do grau de doutor nos Politécnicos foi vista pelos intervenientes como importante e de justiça, o que poderá vir a reforçar a cooperação em rede entre as instituições.

O evento foi dividido em conferências, mesas redondas e comunicações paralelas. A primeira edição foi realizada no Politécnico de Portalegre apenas de forma digital, devido à pandemia de Covid-19. A próxima edição decorrerá no Politécnico de Beja. Na sessão de abertura os responsáveis pelas três instituições mostraram abertura para que outros politécnicos possam participar na organização do evento.

 
Voltar