Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

As escolhas de Valter Lemos Moto GP vs. Superbikes

11-07-2022

Desta vez não venho falar de um modelo de moto ou automóvel, mas tentar responder a uma pergunta que me tem sido feita com frequência. Quais as diferenças entre as Moto GP e as Superbikes?
Com a carreira de Miguel Oliveira no campeonato mundial de Moto GP, muitos portugueses começaram a interessar-se mais pelas corridas de motos. Por outro lado, a realização, nos últimos anos, de grandes prémios em Portugal, quer nas Moto GP, quer nas Superbikes, a que não será alheio o facto da Federação Internacional de Motociclismo ser presidida, desde 2018, pelo português Jorge Viegas, veio também contribuir para o crescimento dos espetadores e interessados nas corridas de motos.
Mas, para muitos dos espetadores, não são inteiramente claras as diferenças entre os dois mais conhecidos campeonatos mundiais de motos.
De forma simples, podemos dizer que a principal diferença é que as Moto GP são protótipos e as Superbikes são motos derivadas de veículos de série, ou seja, as Moto GP são propositadamente construídas para a competição, em pequeno número e com poucas restrições técnicas, enquanto as Superbikes são construídas a partir de um modelo existente e com diversas restrições técnicas. Assim não é possível ver a circular uma Moto GP, mas pode-se ver, adquirir e circular com um modelo idêntico a uma Superbike, como é o caso da Ducati Panigali V4 R ou a Yamaha YZF R1 ou a Honda CBR 1000 RR-R, entre outras.
As Moto GP são mais leves (157 Kg) do que as Superbikes (168 Kg), devido ao uso de materiais mais leves como o carbono, o titânio ou o magnésio. Por exemplo os travões das primeiras podem usar discos em carbono, enquanto nas segundas os discos são em aço.
Os motores das Moto GP têm até 1000 cc e especificações próprias e não divulgadas e debitam, em geral mais 30 cv do que os das superbikes que derivam dos motores de série e podem chegar aos 1200 cc, como é o caso da Ducati. O nível de performance é controlado, no primeiro caso, através da eletrónica, enquanto, no segundo, é através de restritores de entrada de ar.
A diferença de preço é abismal. Uma Moto GP custa cerca de 2 milhões de dólares e uma superbike um pouco mais de 100 mil.
Estas diferenças levar-nos-iam a pensar que as Moto GP deverão ser muito mais rápidas do que as Superbikes, mas não é bem assim! Em regra, em muitas pistas, as Moto GP são um pouco mais rápidas (1 a 2 segundos), principalmente devido à sua maior capacidade de travagem, mas tal nem sempre acontece. Já, por diversas vezes, em alguns circuitos, em testes conjuntos, algumas Superbikes superaram as Moto GP, como ainda no início desta época em Jerez de la Frontera, com vitória de Jonathan Rea, hexacampeão do mundo, na sua Kawasaqui ZX 10 RR.

Valter Lemos
Professor Coordenador do IPCB | Ex Secretário de Estado da Educação e do Emprego
 
Voltar