Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Escola Escolas Secundárias com poucos alunos podem ser transformadas em escolas artísticas

04-11-2022

O ministro de Educação, João Costa, acaba de anunciar que o processo de criação de escolas artísticas está em curso e que em zonas de maior pressão, as escolas secundárias com poucos alunos podem ser transformadas nessas novas estruturas.

“Vamos começar a ver quais são as zonas de maior pressão, ou seja, quando vemos as tentativas de inscrição nessas duas escolas, quais são as localidades de origem dos alunos”, explicou, referindo que as novas escolas serão distribuídas por várias zonas do país, incluindo o interior.

João Costa admitiu a possibilidade de reconverter em escolas artísticas estabelecimentos nessas zonas que estão a funcionar como escolas secundárias, mas têm poucos alunos.

O anúncio foi feito durante a audição parlamentar do ministro da Educação, no âmbito da discussão em especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2023.

Na sua intervenção inicial, João Costa referiu as duas únicas escolas públicas artísticas, a Soares dos Reis, no Porto, e António Arroio, em Lisboa, afirmando que “são dois exemplos do valor inestimável da educação artística”, mas “são muitos os alunos que ficam de fora por falta de vagas”.

Por isso, acrescentou, o Ministério da Educação vai iniciar a partir de 2023 “o processo com vista ao alargamento do número de escolas artísticas”.

Mas foi só na segunda parte do debate que o ministro deu mais detalhes sobre a medida. Em resposta a questões colocadas por alguns deputados, João Costa esclareceu que as novas escolas serão criadas nas zonas do país onde houver mais procura.

EM com Lusa
ME
 
Voltar