Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXIII

Computadores e tablets Ensino a Distância: 96% dos docentes usam meios próprios 08-02-2021

96% dos professores, do ensino básico ao secundário, utilizaram, os seus meios informáticos próprios (computador PC/portátil e/ou tablet) para ministrar o ensino a distância, durante a suspensão das aulas presenciais devido à pandemia de Covid-19, entre 16 de março de 2020 até ao final do ano letivo passado.

Estes números resultam de um inquérito nacional realizado pelo Observatório de Cibersegurança, do Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS), com o apoio da Direção-Geral de Educação (DGE), entre 20 de outubro e 15 de novembro de 2020.

Os dados agora tornados públicos e a que o Ensino Magazine teve acesso resultam de 21 mil 126 respostas.

Apenas 1% dos 21 mil 126 docentes que responderam ao inquérito utilizou sempre o equipamento informático fornecido pela escola. 3% utilizaram o seu equipamento próprio e o da escola, e 0,3% não utilizaram equipamento informático desse tipo.

Este inquérito permitiu ainda aferir quais as plataformas utilizadas, sendo que 52% dos docentes utilizaram o Google Clasroom e o Meet; 39% o Zoom; 33% o Microsoft Teams; e 13% o Moodle.

As aulas online por videoconferência foram realizadas por 93% dos docentes que responderam a este inquérito. 88% dos professores utilizaram também o correio eletrónico para enviar conteúdos aos seus alunos, enquanto que 42% recorreram ao Whatsapp, Messenger e outras plataformas, para enviarem esses conteúdos.

O recurso às aulas televisivas na RTP foi utilizado por 38% dos docentes. Os dados demonstram também que 32% dos professores utilizaram o telemóvel para contactar com os seus alunos (voz/SMS), 18% enviaram vídeos gravados, 14% utilizaram o tradicional correio (carta) e 8% as redes sociais como o Facebook, Linkedin ou Twitter, entre outros.

EM
Freepik
 
Voltar