Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Gente & Livros Charles Bukowski

24-01-2022

«A Cass meteu a mão dentro da mala. Achei que ela ia pegar no lenço. Tirou um alfinete de chapéu comprido. Sem me dar tempo de a travar, furou o nariz com o alfinete, de lado, imediatamente acima das narinas. Senti-me repugnado e horrorizado.
Ela olhou para mim e riu-se.
-E agora, achas-me bonita? O que é que me dizes, pá?»
In «A mulher mais
bonita da cidade»

Poeta, contista e romancista, Henry Charles Bukowski Jr é um dos maiores autores de culto do século XX e, para alguns, o poeta americano mais influente e imitado de sempre.
Considerado um dos “escritores malditos” das letras americanas, sempre dividiu a crítica, devido ao estilo coloquial e, não raras vezes, obsceno com que escrevia recorrentemente sobre temas e personagens marginais. Alcoolismo, prostitutas, corridas de cavalos, sexo e experiências escatológicas são marcas dos romances e poemas de Bukowski.
A Wook conta que “Charles Bukowski nasceu na Alemanha, em 1920, mas cresceu em Los Angeles, onde viveu durante cinquenta anos. Publicou o seu primeiro conto em 1944, quando tinha 24 anos, e começou a escrever poesia com 35 anos”.
Morreu em 1994, aos 73 anos, pouco tempo depois de completar o seu último romance, “Pulp”. Viu publicados mais de 45 livros de prosa e poesia, incluindo os romances “Correios” (1971), “Factotum” (1975), “Mulheres” (1978), “Ham on Rye - Pão com Fiambre” (1982), “Hollywood” (1989) e “Pulp” (1994).
É considerado uma espécie de autor “beat” honorário, embora nunca se tenha associado a outros representantes desse movimento, como Jack Kerouac, William Burroughs e Allen Ginsberg.
A intensa compaixão com que escreveu sobre personagens miseráveis, numa obra marcadamente autobiográfica, fez de Bukowski um dos principais representantes da marginalidade de Los Angeles.

Direitos Reservados
 
Voltar