Este website utiliza cookies que facilitam a navegação, o registo e a recolha de dados estatísticos.
A informação armazenada nos cookies é utilizada exclusivamente pelo nosso website. Ao navegar com os cookies ativos consente a sua utilização.

Diretor Fundador: João Ruivo Diretor: João Carrega Ano: XXV

Politécnico Luís Loures eleito presidente do Politécnico de Portalegre por unanimidade

09-09-2021

Luís Loures foi eleito, por unanimidade, presidente do Politécnico de Portalegre. A eleição decorreu dia 8 de setembro, no Conselho Geral da instituição e a tomada de posse deverá ocorrer após a homologação dos resultados pelo ministro de Ciência e Ensino Superior.
Luís Loures é professor da Escola Superior Agrária de Elvas, do Politécnico de Portalegre. Desde setembro de 2017 é vice-presidente do Instituto Politécnico de Portalegre. Substitui no cargo Albano Silva.
Em nota enviada ao Ensino Magazine, o Politécnico de Portalegre revela que a “tomada de posse do presidente eleito acontecerá após a homologação dos resultados da votação pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e consequente publicação em Diário da República”.
Na sua linha de ação, Luís Loures apresenta cinco eixos estratégicos bem definidos, a saber: Ensino e formação; investigação, inovação e transferência de tecnologia; empreendedorismo, emprego e valorização do conhecimento; internacionalização e cooperação institucional; e pessoas, cidadania e sociedade.
Luís Loures fala de um “Politécnico Glocal com orgulho no passado e confiança no futuro. O Presidente Albano Silva escrevia há quatro anos que: muito dificilmente uma instituição que não reconhece o seu passado poderá afirmar-se no presente, e projetar um futuro sustentável. Comungo desta visão, e acredito que, numa sociedade cada vez mais globalizada, promotora de contextos progressivamente mais competitivos, onde pessoas e organizações competem por recursos de natureza diversa, as Instuições de Ensino Superior não serão exceção”.
No seu entender, “a disputa por estudantes, talento, parcerias e financiamento constituirão, neste contexto, um fator determinante para todos aqueles que queiram ser competitivos. É neste cenário, reconhecendo a existência de desigualdades estruturais e individuais, que pretendemos ser um Politécnico Glocal, que seja capaz de desenvolver respostas locais aos desafios globais; que seja motor de desenvolvimento fomentando a participação pública e a cidadania; que crie condições para garantir a igualdade de oportunidades para todos; que promova os objetivos do desenvolvimento sustentável (ODS), fomentando a gestão colabora.va baseada em princípios de rigor, transparência e reconhecimento do mérito; que valorize a criatividade, a inovação, o empreendedorismo e liberdade científico-pedagógica; e que promova a saúde, o bem-estar e respeito pelo próximo, exercendo a sua missão com total independência face aos poderes instituídos, qualquer que seja a sua origem, natureza e forma, valorizando acima de tudo as pessoas e a autonomia institucional”.

 
Voltar