Politécnico

Ensino Profissional
IPCB cria rede regional

carlos-maia-001.jpgO Instituto Politécnico de Castelo Branco (IPCB) juntou 19 instituições de ensino da região e promoveu a criação de uma rede regional de ensino profissional. O protocolo de cooperação assinado em dezembro envolve os agrupamentos de escolas secundárias e escolas profissionais da região dos concelhos de Abrantes, Belmonte, Castelo Branco, Covilhã, Fundão, Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova e Sertã, que oferecem cursos profissionais de nível 4.

º ano, para o melhor aluno de cada uma das escolas, que tenha concluído um curso profissional de nível 4 e que ingresse num dos cursos técnicos superiores profissionais do IPCB.

Em declarações ao Ensino Magazine, Carlos Maia, presidente do IPCB, sublinha a importância dos acordos agora estabelecidos. "Importa que haja uma articulação entre as escolas do Politécnico e as que ministram cursos profissionais de nível IV". A ideia, diz, passa ainda por criar uma fileira formativa que "vá desde os cursos profissionais de nível IV até aos mestrados".

O presidente do IPCB recorda que muitas "das relações agora colocadas no papel já existiam". A iniciativa visa a criação de uma rede regional de ensino profissional, que promoverá a troca de informação e o alinhamento entre a oferta formativa dos cursos profissionais de nível 4 com os cursos Técnico Superiores Profissionais oferecidos pelo IPCB a partir do ano letivo 2015/16.

Carlos Maia explica que com este acordo o IPCB poderá ceder as suas instalações e os próprios docentes do Politécnico poderão colaborar nesta rede. No entender do presidente do IPCB "é importante valorizar o ensino profissional. Há muitos jovens que optam por ir para esse tipo de oferta formativa, a qual também garante a continuidade de estudos no ensino superior".

Por isso, o presidente da instituição, considera este protocolo importante, na perspetiva de, em articulação com as escolas secundárias e profissionais, se construir caminhos de percursos formativos possíveis, dos cursos profissionais de nível 4 aos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTSP), licenciaturas e mestrados que os alunos poderão frequentar no IPCB.

O acordo agora assinado prevê também o desenvolvimento e disponibilização de uma plataforma web para agregar a informação da rede (cursos, escolas e tecido empresarial e institucional para a realização de estágios).

Para além disso, e segundo uma nota de imprensa enviada ao nosso jornal, o acordo prevê a existência de vagas preferenciais para o acesso aos alunos das instituições pertencentes à rede agora criada assim como a oferta da propina do 1º ano, para o melhor aluno de cada uma das escolas, que tenha concluído um curso profissional de nível 4 e que ingresse num dos cursos técnicos superiores profissionais do IPCB.

Fazem parte desta rede os agrupamentos de escolas Amato Lusitano (Castelo Branco); Proença-a-Nova; Sertã; Fundão; Frei Heitor Pinto (Covilhã); José Sanches e S. Vicente da Beira; Nuno Álvares (Castelo Branco); Padre António de Andrade (Oleiros); Pedro Álvares Cabral (Belmonte) e Ribeiro Sanches (Penamacor). Integram ainda a rede as escolas secundárias Campos de Melo e Quinta das Palmeiras (ambas da Covilhã); e as escolas profissionais: Agostinho Roseta (Pólo de Castelo Branco); Desenvolvimento Rural de Abrantes; do Fundão; EPRIN; Quinta da Lageosa; ETEPA e INETESE (Pólo de Castelo Branco).

 
 
 
Edição Digital - (Clicar e ler)